Dia dos Mortos, O que isso Representa?

2
279
visualizações

Salve Sua Estrela!

Dia 02 de Novembro é comemorado ao redor do mundo o Dia dos Mortos, a comemoração que para uns é de muita melancolia, em outros lugares do mundo a comemoração é de muita alegria.
O dia 2 de novembro foi escolhido, pois ele sucede o Dia de Todos os Santos, comemorado no dia 1 e voltado à celebração de todos aqueles que, apesar de não terem sido canonizados e nem lembrados nas orações, faleceram em estado de graça.
No Brasil, essa data é acompanhada por visitas a cemitérios e túmulos de parentes e amigos falecidos, que são homenageados com flores e rezas, num clima de respeito e reflexão pela efemeridade da vida e a saudade deixada pelos que foram.

Deusa Kali

Deusa Kali é representada através de uma mulher com pele escura ou azulada, com a língua de fora, cabelos negros e com o rosto manchado pelo vermelho do sangue. Ela possui quatro ou oito braços que carregam as armas dos Deuses e um colar de crânios humanos ao redor do pescoço.

A história da Deusa Kali tem muitas variações, mas a origem mais aceita é de que ela foi invocada pela Deusa Durga para combater um demônio que ameaçava as pessoas e as próprias divindades. A lenda conta que, numa luta entre Durga e o demônio Raktabija, este fez o desespero de Durga com seu maléfico poder: cada gota de seu sangue se transformava em um demônio. Durga e Shiva, ao tentarem matar os vários demônios que surgiam a cada gota de sangue, cortavam a cabeça (e daí nasciam mais e mais demônios). Já em desespero, surge Kali, que cortava as cabeças e lambiam o sangue para não se procriar mais demônios (daí representado pelo colar de cabeças e a língua de fora). Assim, eliminou os demônios clones de Raktabija.

Logo após as batalhas, Kali iniciou sua eufórica dança da vitória sobre os corpos dos mortos. Com esta dança todos os mundos tremiam sob o tremendo impacto de seus passos. Em muitas ocasiões, seu consorte Shiva teve de se atirar entre os demônios por ela executados e deixá-la pisoteá-lo. Esse era o único modo de trazê-la de volta à consciência e evitar que o mundo desabasse.

Desde então, na Índia a morte significa o renascimento, o novo, mesmo tristes com o ocorrido eles entendem a necessidade da natureza humana.

Vida e Morte na cultura mexicana – La Catrina



La Catrina na cultura popular mexicana, é a representação do esqueleto de uma dama da alta sociedade. É uma das figuras mais populares da Festa do dia dos mortos no México.

O dia dos mortos é uma celebração nacional onde todos recordam seus familiares, visitando túmulos e levantando altares em sua homenagem. La Catrina tem uma grande aceitação e é muito usada nesses momentos. A tradição ensina que os mortos voltam, visitam o altar e podem desfrutar dos presentes ofertados. Ao mesmo tempo, o Culto à Santa Morte é uma religião que vem crescendo muito e teve seu auge nos últimos anos.

No México, a morte tem significado único. Em vez de lamentada, é festejada uma vez ao ano, dia 02 de Novembro (Dia de Finados no Brasil). É tradição reunir família e amigos para comemorar a visita dos antepassados à Terra. Se, no Brasil, a data é sinônimo de cemitérios lotados e melancolia, no México a animação toma conta, pois se acredita que os mortos devem ser recebidos com alegria e coisas de que gostavam enquanto vivos. A famosa caveira mexicana (La Catrina), altares coloridos, fantasias, comidas e bebidas típicas mudam a cara de várias cidades do país.

Na atualidade, o personagem de La Catrina relaciona-se com a tradição de recordar aos mortos. No entanto, sua criação é uma crítica política às condições de desigualdade nas quais viviam a maioria das pessoas nos séculos XIX e XX.

2 COMENTÁRIOS

  1. Hello! I could have sworn I’ve been to this blog before but after reading through some of the post I realized it’s new to me. Anyways, I’m definitely happy I found it and I’ll be book-marking and checking back frequently!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui