Hierarquia Cigana Espiritual

0
83
visualizações

SERÁ QUE VOCÊ JÁ FOI CIGANO EM OUTRA ENCARNAÇÃO OU CARREGA UM DESSES CHEFES DE CLÃ? 

Dentro da espiritualidade cigana, existem 12 mestres de clã, entre eles há uma hierarquia espiritual diferentes que são: Melichs, Kalinata/Ratói, Manouche/Puri Day, Kaku, Shuvani, Barô/Bába.

Melichs

O melich (que em romanes quer dizer ajudante ou auxiliar), são as crianças, iniciadas geralmente aos 7 anos, eles são responsáveis pelo cuidado das ofisas, mesas, tchaios e aparatos mediúnicos em geral.

Kalinata/Ratói

A Kalinata (mulher) ou Ratói (homem) tem aqui as mesmas funções que é cuidar para que tudo aconteça dentro do trabalho espiritual ou de kumpania. Verificam a segurança do acampamento, ou tsara espiritual, cuidam dos que guardam (espíritos), de todos os aparatos, dão ordens aos Melichs, são os olhos e ouvidos dos Barôs e Bábas.

A Kalinata é uma mulher que quando exerce seus conhecimentos com padrão de comportamento impecável, são pessoas muito consideradas, e tem autoridade para chegar até o Barô sem marcar, independente de ela ser mãe ou não, que é uma coisa que da autoridade a mulher.

O Ratói é o homem que decide junto da kalinata tendo as mesmas atribuições. Astralmente e fisicamente é o homem que coloca verdadeiramente as mãos para resolver o que deve ser feito. Dentro das Tsaras fisicamente, dentro do mundo encarnado que temos, dentro do mundo espiritual também. Independente dele ter constituído matrimonio ou não.
As fogueiras, são tarefas exclusivas dos Ratóis, tanto a arrumação, quanto acendimento e definição do que fazer com as cinzas que geralmente são entregues as Kalinatas.

Manouch/Puri Day

Tanto a Kalinata quanto o Ratói, podem passar pelos ritos de Roti Diena e serem chancelados por um Barô ou Bába, para ter outras atribuições. A mulher Kalinata, terá um grau nesta estrutura diferente do homem, depois do Roti Diena, ela conforme o clã e origem ela receberá a função de Manouch (que em romanes é nome de clã e quer dizer feiticeira), Puri Day (que em romanes quer dizer Matriarca, sua palavra é chanceladora, principalmente na magia).

Já o Ratói, após 20 anos ativos e com autorização pedida e dada, passa pelos ritos de Roti Diena para ter outra atribuições e não passa por esse estágio intemediário, ele é logo chancelado Barô.

Kaku

Significa um espírito cigano especializado em pequenos à altas iniciações de magias.

Um Kaku é um cigano (a) de mais idade, que foi aprendendo com um cigano ou ciganos mais velhos, se interessando, criando a propriedade medicinal de cada erva, testando, vendo se fazia efeito ou não.

Não era uma regra, mas havia pelo menos um Kaku em cada tribo cigana, pois a criança ia se interessando e quando via já tinha vivido e visto muito da vida, já tinha experiência sobre conselhos, ervas, doenças, espiritos, era a sabedoria à quem os ciganos poderiam recorrer.

O Kaku entende muito de lua, ervas, magias, tudo isso devido a sua experiência acumulada. Ele entende muito deste universo e da vida em si.

Shuvani

O significado dessa palavra é “bruxa”, apesar de sua significação mais antiga ser “uma pessoa sábia”: alguém que possui o conhecimento de todos os aspectos do oculto.

No interior da sociedade cigana, a importante função de abençoar e amaldiçoar, de curar e provocar doenças. A Shuvani é aquela pessoa que tanto é respeitada pela sua sabedoria como pelo seu entendimento das crenças e práticas mágicas. Ela também é quem detém todo o saber dos tabus sociais e dos ritos e rituais mágicos, tais como o batismo e o casamento. Não há cigano que a considere como uma pessoa maléfica ou repugnante. Para eles, ela é simplesmente aquela que possui um conhecimento singular, além de ter um poder que, de acordo com seus desejos, poderá ser usado para o bem ou para o mal.

As shuvanis são justamente aquelas que conseguem comunicar-se com tais espíritos, e o fazem com certa regularidade. Entretanto, dentre os grupos de espíritos, três se destacam de modo especial:

Ar: são bastante independentes e tanto podem ferir como ajudar os humanos. Parece que eles se sentem mais gratificados quando conduzem os humanos para o mau caminho.

Terra: são reiteradamente descritos como “nobres”. São amigáveis e estão sempre dispostos a dar um bom conselho.

Água: constituem um caso à parte. Ao mesmo tempo que são gentis e ajudam os humanos, eles podem ser por demais vingativos e, se não forem completamente maléficos, não serão nem um pouco agradáveis.

Barô

É o que comando o clã cigano, os demais acatam suas ordens, pois sabem que ele sempre esta pensando à favor de todos e no que é melhor para o seu grupo.

O Barô tem que ser um homem justo, sábio e sincero, e acima de tudo, passar confiança a seu povo que deposita seus caminhos em suas mãos.

A responsabilidade de um Barô é muito grande com o seu povo, ele é o espelho que vão admirar.

Bába

A Bába que tem tanto poder quanto o Barô embora necessite da concordância dele para casos mais graves, tem poder de autorizar, mandar, esclarecer, definir e outras atribuições, somente sendo exclusa do Kris Romani, onde somente homens podem estar.

As pessoas que exercem a função de médium poderão após autorização astral, passar pelos ritos de preparo para o trabalho astral, embora possam exercer os cargos de Melichs, Kalinata / Ratói, Manouche / Puri Day / Shuvani, nunca serão chancelados Barôs e Bábas. Os espíritos que dirigem as tsaras é que tem estes títulos. Não existe Barô e Bába que não sejam ciganos de sangue. O dirigente independente do sexo será chamado de Jutsi (que em romanes quer dizer “Soldado”). Salve Sua Estrela!